Maravilhoso vídeo sobre o direito à comunicação!!!

Imperdível! Genial! Incomparável! Etc., etc., etc.

Pára tudo que estiveres fazendo agora e deleita-te com o extraordinário, fantástico e com a perfeição, se ele tivesse explicitado algo como ABAIXO A DITADURA DA MÍDIA.

Deve ser passado na abertura da I Confecom no DF, na frente de Lula e Hélio Costa, se eles tiverem coragem de aparecer por lá.

“Levante sua voz”: Assista aqui ou aqui.

Tem várias entradas do Roberto Emanuel, presidente da Rádio Constelação. Ele morreu na semana em que  a edição, estava sendo concluída. Então, no final dos créditos, o vídeo é dedicado como uma homenagem a ele, que sempre aparece ao lado do vice-presidente da Anadefi – Associação Brasileira dos Deficientes Físicos, que mantinha a emissora, Raimundo Aniceto, que o sucede na direção da entidade.

Mais detalhes, aqui.

João Brant, Intervozes, editado por Heitor Reis, Abraço/FNDC
 
Visite www.direitoacomunicacao.org.br
Ouça a Rádio Cultura AM – www.radiocultura.am.br – Em São Paulo, 1200 kHz

Anúncios

Áudio: A mídia hegemônica e a liberdade de expressão


BH-MG: Áudio em MP3 da palestra de Venício de Lima e comentários de Mozahir Salomão

A Fundação Perseu Abramo e o SJPMG promoveram palestra com Venício A. de Lima, sobre o tema “a mídia hegemônica e a liberdade de expressão”. Com apoio do sítio Vermelho, marcou o lançamento do livro “Diálogos da Perplexidade – Reflexões críticas sobre a mídia”, de Venício e Bernardo Kucinski.  

Áudio da palestra de Venício Lima

Áudio do comentário de Mozahir Salomão

TEXTO CONTINÚA AQUI.

Créditos pela gravação do áudio:  José Milton dos Santos
Diretor de Formação Profissional do SJPMG

Edição e publicação: Heitor Reis, Abraço/FNDC/Fenai

Mais fotos da Confecom-MG, por Paula Kimo

Fotos da Conferência Estadual de Comunicação de MG, realizada neste último final de semana:
http://www.flickr.com/photos/paulakimo/sets/72157622699307355/detail/

Para copiá-las, basta colocar o cursor em cima da imagem, acionar o botão direito do rato (o tal do “mouse”) e, depois, selecionar a opção “Salvar imagem como”.

Se precisar de alguma delas em alta resolução, basta solicitar para Paula Kimo, cujas lentes captaram estes momentos, especificando o número da foto: paulakimo@gmail.com

Esquerdos autorais, ou, no idioma do maior país terrorista da face da Terra, “copyleft”, em oposição ao “copyright”.

São José da Lapa na Confecom-MG

Acesse aqui informativo da cidade de São José da Lapa: Levante sua Voz 2

Vídeos sobre a Confecom-MG

http://imersaolatina.ning.com/video/conferencia-estadual-de-1

http://imersaolatina.ning.com/video/conferencia-estadual-de

Créditos: Nelsinho Pombo

Vitória dos movimentos sociais em MG

Confecom MG logo.

Conferência Estadual de Comunicação foi uma vitória dos movimentos sociais

Minas Gerais encaminhará cerca de 700 propostas à Conferência Nacional de Comunicação, marcada para os dias 14 a 17 de dezembro, em Brasília (DF), número superior ao das conferências estaduais já realizadas no País. O documento com as propostas foi apresentado na manhã deste domingo (15/11/09), na plenária final da 1ª Conferência Estadual de Comunicação, que aconteceu na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, desde a última sexta (13).

Entre as propostas aprovadas, estão aquelas que buscam fortalecer as rádios comunitárias e a rede pública de comunicação; garantir a universalização do acesso à internet; implantar conselhos de comunicação deliberativos, com foco na participação da sociedade não empresarial; e instituir uma política de comunicação estadual, com foco no controle público dos meios de comunicação.

 CONFECOM MG009 30 pp CONFECOM MG 006 30 pp CONFECOM MG 008 30 pp CONFECOM MG 010 30 pp

Moções – Na reunião da manhã ocorreu durante a votação das moções. O processo estendeu-se até o início da tarde, com participantes posicionando-se contra e a favor das propostas. Das 19 moções apresentadas, 16 foram aprovadas; e, dessas, três foram aglutinadas por semelhança de conteúdo. Entre as moções aprovadas, destacam-se a que defende a regulamentação da profissão de jornalista, com a volta da exigência do diploma; as que condenam o cerceamento da imprensa mineira pelo Governo Estadual; e a que propõe a participação democrática da sociedade nos conselhos gestores da Rede Minas e da Rádio Inconfidência.

 CONFECOM MG 027 30 pp  CONFECOM MG 036 30 pp  CONFECOM MG 038 30 pp  CONFECOM MG 044 30 pp

Conferência em Minas Gerais subsidiará Política Nacional de Comunicação

A conferência estadual elegeu 64 delegados da sociedade civil, 64 do segmento empresarial e 16 do poder público. Minas Gerais será o Estado com a segunda maior delegação em Brasília, atrás apenas de São Paulo. O objetivo da conferência nacional é subsidiar as diretrizes para a Política Nacional de Comunicação, com base em três eixos temáticos: Produção de Conteúdo, Meios de Distribuição e Cidadania.

 CONFECOM MG 045 30 pp  CONFECOM MG 067 30 pp  CONFECOM MG 074 30 pp  CONFECOM MG 089 30 pp

Veja abaixo o conteúdo resumido de algumas propostas

Eixo “Meios de Produção”:

  • regulamentação da distribuição da verba destinada à publicidade e propaganda oficial dos governos municipal, estadual e federal, garantindo a reserva de 30% para rádios e TVs comunitárias, jornais de bairro de baixa tiragem, internet e outras mídias comunitárias.
  • garantia de subsídio estatal para a aquisição de equipamentos para as rádios comunitárias através de linha de crédito ou subsídio direto.
  • regulamentação de artigo da Constituição que estabelece a regionalização da produção cultural, artística e jornalística.
  • criação do Fundo Nacional de Comunicação Comunitária, financiado com impostos a serem cobrados das empresas comerciais de comunicação.
  • acesso gratuito e universal de banda larga para todos os brasileiros.
  • elaboração de novo marco regulatório para a televisão por assinatura que contemple a eliminação das restrições contidas na Lei Geral de Telecomunicações que impedem a prestação do serviço de TV a cabo por parte das prestadoras de serviços de telecomunicações.
  • estabelecimento de uma Rede Única de Comunicação Pública para a Rede Minas e a Rádio Inconfidência, com participação efetiva da sociedade civil em conselhos de gestão e editorial e, principalmente, com autonomia para gestão dos recursos previstos em lei.
  • observação, no ato de outorga de radiodifusão, do impedimento do controle, gerência ou direção de empresa por pessoas físicas investidas em cargo público ou no gozo de imunidade parlamentar ou de foro especial, e seus parentes até 3º grau, em nome próprio ou de terceiros.
  • definição de critérios legais para a publicidade oficial; reserva de, no mínimo, 30% das verbas de publicidade oficial para veículos de baixa circulação comercial e não-comercial.
  • ampliação e fortalecimento das rádios comunitárias.
  • valorização e implantação dos conselhos de comunicação federal, estadual e municipal.
  • estabelecimento de uma política estadual de comunicação com foco no controle público dos meios de comunicação, por meio de um projeto de lei na Assembleia que garanta a participação popular de maneira institucionalizada.
 CONFECOM MG 098 30 pp  CONFECOM MG 110 30 pp  CONFECOM MG 157 30 pp  CONFECOM_ESTADUAL_169

Eixo “Meios de Distribuição”:

  • valorização e implantação dos conselhos de comunicação federal, estadual e municipal, de caráter deliberativo e abertos à participação popular.
  • rediscussão do fim da exigência de diploma para o exercício da função de jornalista.
  • regulamentação do artigo 223 da Constituição Federal, com a alocação de 40% do espectro para emissoras públicas; 40% para emissoras privadas, divididos entre comerciais e sem fins lucrativos; e 20% para as emissoras estatais.
  • estudo de novos parâmetros para a distribuição de concessões de rádios e TVs; e desburocratização das concessões das rádios comunitárias.
  • criação de política pública orientada para a universalização dos equipamentos utilizados para acesso à internet, por meio de redução de carga tributária.
  • fim da proibição de veiculação de publicidade nas rádios comunitárias e educativas.
  • inclusão de todas as emissoras de televisão do campo público no projeto de operador de rede; e garantia de que as emissoras legislativas estejam todas no mesmo transmissor, na estrutura do operador de rede, a fim de permitir a criação de uma rede legislativa.
  • garantia de acesso ao sinal aberto pelas TVs comunitárias; e criação de um fundo nacional para o desenvolvimento da comunicação comunitária.
  • uso de recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) e do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funtel) para políticas públicas de democratização da comunicação social.
  • modificação da legislação da Anatel a respeito do acesso à rede mundial de computadores via rede elétrica, de maneira a garantir a universalização gratuita ou de baixo custo por esse meio.
  • universalização da internet de banda larga como política pública, usando os recursos do Fust e demais fundos públicos.
CONFECOM MG 002 30 pp CONFECOM MG 033 30 pp CONFECOM MG 037 30 pp CONFECOM MG 052 30 pp

Eixo “Cidadania: direitos e deveres”:

  • criação de conselhos municipais e estaduais de comunicação deliberativos.
  • garantia, pela sociedade e seus representantes, do direito do controle social na comunicação, por meio de conselhos e outros mecanismos democráticos.
  • efetivação das políticas públicas de acesso gratuito à internet, como telecentros, garantindo também o acesso à aquisição de equipamentos por meio de financiamentos.
  • proibição do monopólio e oligopólio na área de comunicação por meio de mecanismos que identifiquem os reais concessionários e permissionários.
  • formulação de uma nova política de outorgas e de renovação de outorgas de emissoras de radiodifusão e de novas tecnologias de comunicação, na qual constarão, entre outros dispositivos, a previsão de realização de audiências públicas e de apresentação de pesquisa com avaliação dos serviços prestados à comunidade.
  • criação, em âmbito nacional, de comissão intersetorial de controle social dos conteúdos veiculados nas TVs, rádios, mídia impressa e programas de auditório e humorístico, a fim de coibir as discriminações por gênero, orientação sexual, etnia, deficiência e religião.
  • produção de nova legislação sobre direito de resposta e produção de uma nova lei de imprensa que garanta a liberdade de expressão.
  • efetivação da autonomia das instâncias de controle social das políticas públicas de comunicação (conferências, conselhos, audiências), desatrelando-as do Executivo e Legislativo.
  • várias propostas relativas à “educomunicação” (análise crítica dos meios), inclusive com a inserção de conteúdos nos currículos escolares.
  • implantação de mecanismos de acessibilidade na comunicação, a fim de garantir o direito à plena participação; e criação de publicidades oficiais inclusivas, não apenas com a existência de recursos mínimos (audiodescrição, legenda, braille e intérpretes de libras), mas com a presença de negros e pessoas com deficiência em todas elas.

Moções foram votadas

Das 19 moções, 16 foram aprovadas, e, dessas, três aglutinadas por semelhança de conteúdo:

  • Apoio à exigência de formação superior em jornalismo para exercício da profissão e repúdio à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que revogou a exigência do diploma.
  • Repúdio à censura na divulgação do problema envolvendo agentes penitenciários do Estado demitidos pelo Governo e em greve de fome na ALMG (três propostas).
  • Apoio à transparência no orçamento do Estado, assegurando o acesso às despesas realizadas com a conferência e uma dotação orçamentária específica para a Confecom.
  • Apoio à inserção de temas ambientais, com enfoque na sociedade civil, na pauta e grade de todos os meios de comunicação.
  • Apoio ao delegado Protógenes Queiroz e repúdio à sua suspensão por 60 dias, determinada pela Polícia Federal, e também ao seu julgamento antecipado, feito pela mídia, ao policial.
  • Repúdio ao Projeto de Lei federal 89/03, que, a pretexto de regulamentar a internet e coibir abusos, atenta conta a liberdade de expressão e criação e à privacidade dos usuários da rede.
  • Repúdio à forma de condução do Enade, quanto ao despreparo dos aplicadores e à imposição ideológica das questões, que não são relevantes para a formação dos estudantes de comunicação.
  • Repúdio à falta de liberdade de expressão e ao cerceamento à imprensa cometido por membros do governo de Minas e conglomerados econômicos, resultado em perseguição e demissão de jornalistas.
  • Apoio à imediata regulamentação da comunicação e à implementação de uma nova lei de imprensa, que garanta, sobretudo, o direito de resposta.
  • Repúdio à criminalização, pelos meios de comunicação de massa, dos movimentos sociais que lutam pela reforma agrária.
  • Apoio à participação democrática da sociedade nos conselhos gestores da Rede Minas e da Rádio Inconfidência; e instituição de uma política estadual de comunicação.
  • Apoio a um novo formato para as próximas conferências de comunicação, baseado na votação de propostas. O regimento interno da 1ª conferência, realizada neste final de semana na ALMG, não previu votações, mas apenas a sistematização das propostas.
  • Apoio e valorização do programa radiofônico Voz do Brasil.
  • Apoio a projeto que criminaliza a homofobia, em tramitação no Congresso Nacional.

Conferência também aprovou moção de apoio ao Delegado Protógenes

A plenária final da 1ª Conferência Estadual de Comunicação, que discute um novo marco regulatório nas comunicações no país, sediada na Assembléia Legislativa de Minas Gerais no último domingo (15) aprovou por unanimidade pelos três segmentos sociais (Governo, Sociedade Civil e Sociedade Civil empresarial) a aprovação de 16 moções de repúdio e apoio. Entre elas, a de apoio total ao delegado Protógenes Queiroz e repúdio à sua suspensão por 60 dias, determinada pelo atual diretor geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa e também ao seu julgamento presunçoso e antecipado, feito por setores da mídia, como a revista Veja. A proposta foi apresentada pela Associação dos Jornalistas do Serviço Público (AJOSP), uma das entidades que compôs a delegação no evento em Minas Gerais.

A moção será também apresentada na Conferência Nacional de Comunicação em Brasília nos próximos dias 14, 15 e 16 de dezembro,  que contará com a presença do presidente Lula. Minas Gerais é a segunda delegação nacional em número de participantes contando com 144 delegados.

Presenças 

Compuseram a Mesa o subsecretário de Estado de Comunicação Social, Sérgio Esser; deputado Carlin Moura (PCdoB); deputada federal Jô Moraes (PCdoB); Leonardo Brandão, representante do segmento empresarial; Gustavo Machala, representante da sociedade civil; Marcelo Bechara, da Comissão Organizadora Nacional; e os relatores dos grupos de trabalho, Jorge Calixto Neto, Lidyane Ponciano e Heitor Reis.

Notícia no portal do Poder Executivo mineiro. Outra.

FONTE: ALMG. Editado por Cláudio Vilaça e Heitor Reis
Crédito pelas fotos: Cláudio Vilaça, Ajosp

Comissão de Credenciamenteo e Lista dos inscritos já está disponível


Lista dos inscritos do movimento social já está disponível no sítio do executivo mineiro sobre a Confecom-MG

http://www.governo.mg.gov.br/confecom/participantes_sc.htm

Apartir de amanhã (sexta-feira, 13), de 14 h às 17 h, a Comissão de Credenciamento estará na Assembléia Legislativa de MG para administrar qualquer problema a este respeito. 

Para quem quiser contatá-la, o telefone geral da ALMG é o 2108-7000. Pedir para falar no credenciamento da CONFERENCIA ESTADUAL DE COMUNICAÇÃO.